sexta-feira, 1 de abril de 2016

E DEPOIS DA PACIFICAÇÃO ?



Neste momento de inquietação política maior, em que os famigerados interesses políticos egoístas deste triste país, para completar a vergonha nacional, no Rio de Janeiro, atuam na contramão da tal “pacificação“ a fazendo escorrer  para o ralo como água podre, colocando em risco a vida de milhares de moradores de favelas e bairros populares, que normalmente, por anos a fio são criminalizados, sofrendo as piores mazelas psicológicas, privadas que já são de liberdade de expressão mais direta, porque estão submetidos à indignação no meio do fogo cruzado entre a “lei” e os “fora da lei”.

Em 2011, no advento da tal “pacificação“, o falecido líder comunitário e membro do Instituto Biófilo Multiversal, José Rodrigues, inspirado pelas possibilidades que essa ideia esboçava, vislumbrando dias melhores para as favelas, chegou a desenhar planos condizentes com  autodesenvolvimento local, sonhando com um Brasil melhor.  Seria tudo utopia? Pois bem, neste vídeo foi produzido em 2011, logo no início da ideia que se divulgava sobre a tal "pacificação" nas comunidades de favelas do Rio de Janeiro, ouça as palavras desse homem que durante toda a sua curta vida na Terra lutou pela melhoria da sua comunidade. Infelizmente, no decorrer desses anos a situação somente recrudesceu, e, meu irmão José , já vai completando três anos que levou para o além a utopia de ver as comunidades felizes. Saudações biófilas!

sábado, 12 de março de 2016

ESTEREÓTIPO CRIMINOSO



MATANÇAS DE JOVENS NAS FAVELAS E CADEIAS TÚMULOS DE MORTOS-VIVOS É A SOLUÇÃO?

Num país historicamente ainda jovem que carrega consigo uma carga de acusações imensas de atrocidades cometidas contra o povo pobre, que finda se transformando numa espécie de válvula de escape dos desgovernos implantados via processos eleitorais sofistas, a insanidade, parece estabelecida. Num país assim, que quase dizimou todos os indígenas, a ganância assassina continua afogando nesse seu próprio pus, seres nascidos e nutridos nesse seu próprio pus ao invés de aperfeiçoar sua sofrida democracia ainda deitada num berço nada esplendido. Até quando essa ferida colonialista escravocrata persistirá manchando Nossa História? Quando o Brasil conseguirá sair deste obscurantismo que o mantem afogado desde a sua fundação colonial? Até quando todo esse pus continuará alimentando varejeiras? Toda essa tristeza faz parte do seu processo de afirmação e confirmação de nação?

domingo, 29 de novembro de 2015

PÁTRIA EDUCADORA



VIDAS INCAUTAS

Mais uma vida desvalorizada de jovem negro
foi parar numa mesa de cortes do necrotério.
Até quando?
É o terror!

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

DEVEMOS FICAR DE LUTO TAMBÉM PELOS MORTOS NA TRAGÉDIA DA CIDADE DE MARIANA - MINAS GERAIS - BRASIL

Não é que se deixe de também demonstrar luto pelas matanças em Paris, no continente africano, na Palestina, na Turquia ou em quaisquer outros partes conflituosas do mundo, mas como patriotas brasileiros, vistamos na mesma medida de solidariedade o luto pelas centenas de mortos na tragédia da cidade de Mariana em Minas Gerais.

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

É ELA FAVELA; homenagem ao Dia da Favela


















Eu faço um desenho
Pinto o retrato dela
Florisbela, Maristela, Isabela ou Estela
Muita coisa é face dela
É ela

Favela com dever de sonhar

Sem mortes pra velar
Com vidas pra revelar
Plantando prosperidade
Cultivando felicidade
É ela

Favela com direito de realizar

Na cidade ou no campo
Aqui ou em qualquer lugar
Respirando arte e cultura
Na nova ordem mundial

Favela

Pra ela escrevo esta poesia
Neste seu dia especial
4 de novembro